quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Não sei onde pertenço - 17 de Dezembro de 2008

Não pertenço aqui
Penso de forma diferente
Dos que me rodeiam.
Nem sempre encontro
O meu refúgio
Já não o tenho e excluí-me
Num ápice e não evitei.

Vou definhar até não poder mais.

Vou exorcizar-me por completo
Desta sociedade, desta cidade.
Sou grande demais para isto
Ou é isto que é pequeno demais
Ou é isto ou aquilo.
Nem mais nem menos.

Perdi-me e não me encontro…

5 comentários:

PQ disse...

Nunca somos bons demais, somos simplesmente diferentes e temos um defeito congénito, olhamos sempre para os mesmos lugares, quando, muitas vezes, ao lado está uma paisagem completamente nova de que nunca nos apercebemos.


PQ

http://pensericando.blogspot.com/

Rovisco disse...

desde já agradeço o seu comentário.

apesar de não saber quem é nem saber como encontrou o meu Blog espero que goste dos poemas e sempre que quiser deixe um comentário.

Obrigado
Rovisco

Pombo disse...

Onde pertencemos?
A todo o lado e a nenhum lado!
Temos onde poisar? E onde, como poisar?

B' disse...

Gostei do texto

deolinda disse...

Gostei muito. Continua